quinta-feira, 15 de maio de 2014

Diversidade Étnica no ambiente escolar

Descrição para cegos: a foto retrata dois meninos, um branco e um negro de mãos dadas. Ao fundo, 8 crianças e 5 adultos estão abraçados.
Foto: Rogério Capela

O tema da diversidade étnico-racial deveria começar a ser debatido nos primeiros anos escolares. A determinação de uma só cultura, além de anular a identidade das pessoas, vem distorcer o entendimento da realidade, principalmente quando falamos em crianças.
Não podemos permanecer admitindo que o outro, visto como “diferente”, tenha que se reprimir ou aderir à cultura de quem controla o poder, mandando e determinando o que é apropriado.
O ambiente escolar é o lugar onde os níveis sociais e as classes marginalizadas e menos privilegiadas pela sociedade dão início a um período de transição do seu modelo de vida, jeito de ser, aprender e de significar. A escola constitui também o recinto onde esses grupos e classes veem a oportunidade da transformação e crescimento social, cultural e econômico. Nesse espaço é muito comum vermos também a aparição de um modelo cultural que é tido como mais significante que os outros. E é exatamente essa atitude de uma só cultura, que exclui e reprime, que precisa ser verificada e eliminada das atividades no seio dos estabelecimentos de ensino, que se apresentam desde os níveis de base, passando pelo Médio e chegando até o nível Superior.
Dessa forma é que diferentes grupos étnicos vêm trabalhando atualmente pelo reconhecimento cultural. Deseja-se um desenvolvimento social novo, combate-se através da superação da discriminação, do abuso e das desigualdades entre os povos toda essa exclusão e exploração de grupos étnicos. Por intervenção da cultura almeja-se garantir nessa natureza de diversidades as diversas individualidades.


 Jude Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve.